19 de set de 2011

Resenha : Thrice - Major/Minor (2011)









Banda:
Thrice
Album: Major/Minor
Site: Ouça o Album no Soundcloud



"Thrice é uma banda norte-americana, formada em 1998 na cidade de Irvine, California, EUA. A banda foi formada pelo guitarrista e vocalista da banda, Dustin Kensrue e pelo guitarrista da banda, Teppei Teranishi enquanto eles ainda estavam no ensino médio. Teppei começou a tocar com Dustin em uma banda na qual não sabe-se o nome, mas logo ele recrutou seus amigos de skate, Eddie Breckenridge para tocar baixo, que logo chamou seu irmão Riley para tocar bateria, assim começava a história da banda Thrice."
LastFm


Quem me conhece já sabe que o Thrice é a tempos a minha banda favorita, logo seguida do Deftones. É bastante complicado resenhar algo do que você gosta muito, mas vamos tentar. Major/Minor é o sétimo disco da carreira da banda, se você contar a série de 2 discos divididos em 4Eps do Alchemy Index como um trabalho só. Mas esse merece um review próprio futuramente. Voltando ao Major/Minor, o disco parte de onde a banda parou no disco anterior Beggars de 2009, que foi um disco marcado por ser o retorno do Thrice fazendo um som mais simples, com mais groove e organico. Totalmente o oposto do que foi visto nas 24 músicas bastante experimentais do Alchemy index, que variam do rock alternativo moderno ao eletrônico e até o country/folk acustico.
Apesar de ser um disco mais simples e mais direcionado ao rock, Beggars acabou mantendo uma aura alternativa demais na banda. Com músicas inspiradas em Radiohead e outras seguindo um rumo mais folk/rock. Apesar de pessuir boas musicas de rock e cheias de energia, no geral foi um album mais para os fãs alternativos, ou fãs com a mente um pouco mais aberta.

Pouco mais de um ano após o lançamento de Beggars, o Thrice anuncia estar preparando um novo album. Tudo foi esquematizado da mesma maneira que o Beggars, a banda se reunia quase que diáriamente em seu estudio caseiro para trabalhar novas idéias e formar musicas. Logo em seguida, a própria banda gravava tudo. A diferença é que para o Major/Minor eles decidiram viajar para LA e gravar as baterias num estudio maior e mais profissional.
Quem passa a conhecer o grupo nos dias atuais não deve imaginar que no inicio o som do Thrice era totalmente outro. Começou como punk-rock de colégio, passando para famigerado post-hardcore, genero do qual eles são etiquetados como referência até os dias atuais. Seguindo para o rock experimental e finalmente chegando na fase atual que se pode dizer ser apenas rock alternativo com pequenas doses de tudo o que eles já fizeram antes.

Por conta disso muitos fãs se dividem entre a era mais post-hardcore cheia de energia e peso, contra a era mais alternativa, madura e mais inovadora. Major/Minor simplesmente uniu os melhores aspectos de ambas as eras, fazendo um disco cheio de energia sem soar totalmente previsivel. Contem muitas musicas possivelmente radiofonicas, mas sem soar clichê. Tamanha energia não era vista a alguns anos pelos fãs, uma parcela das musicas possui o mesmo esquema ritmico e o groove do Beggars, mas com o dobro da intensidade como podemos ver na música com a melhor letra disco pra mim "Promises".
"Yellow Belly" e a incrivel "Cataracts" mostram um Thrice mais firme e com influências visiveis do rock dos anos 90, Riffs simples e bem colocados. "Blinded" é outra música que parece ter sido tirada da era Beggars, num clima mais baixo, porem sem te deixar perder o interesse nos seus versos. "Call it in the air" talvez seja a minha favorita de todas no album, começa pequena e sombria, construindo mais um dos vários refrões explosivos do disco. Ela possui um interludio bastante pesado que resgata uma era bem distante da banda, algo totalmente inesperado. Assim como vemos em "Blur", a mais rapida e suja do disco, mas com partes calmas também inesperadas. O disco não possui baladas totalmente acusticas, das musicas lentas temos a bem escrita "Treading Paper" e a emocionante "Words in the water" com seus 6min de belos timbres. "Listen Through Me" mostra o vocalista Dustin Kensrue um pouco mais aberto quanto a sua religião. Ele quem é sempre o responsavel por escrever as letras do disco, mas nunca quis fazer nada gospel demais ou muito na cara das pessoas.
Seguindo com "Anthology" que possui uma letra citando várias outras canções de todas as eras da banda, tudo isso embalado numa música simples porem poderosa, mais um possivel clássico do Thrice. E então o disco encerra com a suave "Disarmed", talvez ela perca um pouco de força por vir logo depois de uma faixa tão forte quanto a "Anthology", mas no geral é uma faixa bem bonita.

A banda havia comentado que esse seria um disco mais sujo e pesado, com um clima mais sombrio e realmente é possivel notar isso em varias letras,musicas e até na arte densa do disco. Isso deve ao fato da banda ter vivido um tempo dificil atualmente onde os irmãos Ed e Riley perderam o pai, vitima de cancer, assim como o guitarrista Teranishi que perdeu a mãe e o vocalista Dustin teve que cancelar alguns shows por que seu pai havia sido diagnosticado com um tumor no cérebro. Fora uma sequencia de dois roubos no estudio da banda, onde eles perderam muitos equipamentos, que por sorte foram recuperados mais tarde.

No geral é um belo disco de rock, sincero, cru e intenso. É possivel notar a evolução da banda tanto no complexo movimento da bateria em algumas musicas e o baixo sempre presente em todas elas. As guitarras simples, porem sempre lá criando camadas interessantes e fortes e o vocal do Dustin cada vez mais firme e praticamente sem tratamento algum de estudio, sendo possivel notar algumas imperfeições que deixam o album soando tão honesto. Para quem não conhece a banda, talvez seja o melhor lugar para começar. Mas saiba que essa é uma banda que nunca fica no mesmo lugar por muito tempo, o que poderia ser sinal de falta de identidade acaba se tornando no maior atrativo do Thrice.

Thrice.net

Tracklist:
01. Yellow Belly
02. Promises
03. Blinded
04. Cataracts
05. Call it in the Air
06. Treading Paper
07. Blur
08. Words in the Water
09. Listen Through Me
10. Anthology
11. Disarmed



Nenhum comentário: